Policiamento ambiental apreende 47 aves em situação de maus tratos em Guaratinguetá

Homem flagrado em crime ambiental pagou multa de R$ 167,3 mil e vai responder por manter aves em cativeiro sem autorização, além de maus-tratos

Policiamento ambiental apreende 47 aves em situação de maus tratos em Guaratinguetá
Crédito: Polícia Militar Ambiental

Da Redação Em patrulhamento na tarde nesta quinta-feira (3) em Guaratinguetá, uma equipe da Polícia Militar Ambiental avistou inúmeras gaiolas em uma residência. O flagrante aconteceu na região do bairro Campinho.

Durante a fiscalização, os policiais encontraram 47 aves de diversas espécies, todas em situação de maus-tratos. O responsável não tinha autorização para manter os animais em cativeiro.

Entre as espécies apreendidas havia azulão, garibaldi, corrupião, trinca-ferro, sabiá, canário-da-terra, cardeal, pássaro-preto, tiê-sangue, sanhaço, pintassilgo, coleirinho, pintagol, chupim, saíra, papagaio e maritaca.

Multa - O criminoso ambiental foi multado pelos policiais em R$ 167,3 mil e vai responder por manter aves em cativeiro sem autorizaçãoalém de maus-tratos. Na multa foram considerados R$ 500 para cada pássaro que não corre risco de extinção.

De acordo com a polícia, o valor para cada ave em situação de maus-tratos´é de R$ 3 mil por, além de R$ 2 mil pelo crime de introduzir animais na fauna silvestre, com acréscimo de R$ 200 por exemplar.

O homem detido alegou que que a finalidade de ter os pássaros era para criação própria e não para venda. A equipe encontrou instrumentos usados para captura dos animais.

Soltura - Os animais aprendidos serão avaliados pelo veterinário para que possam ser reinseridos na natureza. De acordo com a polícia, as espécies que não são típicas da região devem ser levadas para seu habitat natural.